30 de jan de 2011

Bombeiros já fizeram mais de mil salvamentos na temporada

Na manhã de ontem, o Corpo de Bombeiros realizou o milésimo salvamento aquático desde o início da Operação Verão 2010/2011, em 11 de dezembro do ano passado. Até o início da tarde de domingo, dia 30, haviam sido realizados 1030 salvamentos. Estes números poderiam ser muito maiores, não fosse o trabalho de prevenção realizado pelos Guarda-Vidas na areia. Já foram registradas mais de 105.000 orientações e advertências realizadas a banhistas que se dirigiam a áreas perigosas ou que não estavam atentas aos riscos durante o banho de mar.


Nesta temporada outubro pessoas morreram afogados no litoral, número idêntico ao do mesmo período no ano passado. O que na verdade preocupa o Corpo de Bombeiros são os registros de morte em locais não protegidos ou sinalizados como perigosos ao banho, como percebido em sete das mortes. A última morte no mar ocorreu em 22 de Janeiro deste ano, quando um senhor de 41 anos se afogou no Balneário Eliane, no Município de Guaratuba.

Neste período de Operação Verão as ambulâncias realizaram 713 atendimentos, sendo estes relacionados a acidentes de trânsito, quedas, afogamentos, queimaduras e casos clínicos, dentre outros.

O Corpo de Bombeiros registrou até agora 197 casos de crianças perdidas. Durante o mesmo período de operação no ano passado, haviam sido registrado 319 casos.

Os helicópteros do Grupamento Aéreo da Polícia Militar realizaram aproximadamente 70 operações junto ao Corpo de Bombeiros, relacionadas a busca e salvamento, patrulhamento e transportes aero médicos. As embarcações e motos-aquáticas também têm sido constantemente empregadas em operações de salvamento, patrulhamento e, principalmente, orientações aos banhistas.

21 de jan de 2011

Bombeiros enviam donativos para o Rio

Carreta lotada partiu ontem com doações de jundiaienses

Doações arrecadadas pelo Corpo de Bombeiros é colocada em carreta: corporação pede ajuda de transportadoras.


O Corpo de Bombeiros de Jundiaí saiu em socorro às vítimas da tragédia provoca pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro. Mas é um salvamento diferente e ao invés do caminhão vermelho foi usada uma carreta com o baú forrado de donativos arrecadados pelos oficiais.

Só de alimentos foram arrecadados 1,3 tonelada, além de quase 500 litros de água, 11.391 peças de roupas, 898 unidades de produtos de higiene e 862 pares de calçados.
Entre o material doado pelos jundiaienses também seguiram roupas de cama, colchonetes, enlatados e produtos de limpeza.
“A população de Jundiaí fez um trabalho importante”, afirma o capitão comandante do 1º Sub-Grupamento de Bombeiros de Jundiaí, Oscar Aoyama.
Ele acompanhou o transporte das doações, feito com uma carreta cedida pela Expresso Jundiaí, até o Fundo Social de Solidariedade do Estado. “Lá é realizada uma triagem e depois seguirá para os necessitados no Rio”, disse.
As doações continuam e a meta agora, segundo o capitão, é arrecadar materias de maior necessidade, mais difíceis de serem doados.


“Já foram dadas roupas suficientes. O que o pessoal necessita é de mantimentos não perecíveis como leite, água, enlatados, entre outros. Também pedimos colchões, velas, fósforos, materiais de higiene, absorventes e fraldas, e produtos de limpeza, como água sanitária, álcool, desinfetantes, vassouras, rodos e panos de chão.”

Outros produtos que os bombeiros acreditam serem importantes são remédios diversos, pois agora é que surgem as doenças provocadas pelas cheias.

Pedido O oficial do Corpo de Bombeiros de Jundiaí também faz um apelo às transportadoras da região para levar os donativos arrecadados.
“ Solicitamos a população que não traga alimentos vencidos ou objetos sem utilidades ou sem condições de uso”, afirma.
Todos os quartéis da Polícia Militar do Estado de São Paulo estarão recebendo os donativos que serão encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo.
Maiores informações: (11) 4521-2812


Prefeito negocia com imobiliárias


Cerca de 20 corretores compareceram ontem na sede da Rede Imobiliária de Jundiaí para uma reunião com o prefeito Miguel Haddad (PSDB).

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, eles levaram algumas opções de imóveis que encontraram nos Jardins São Camilo e Balsan.


"Pedimos o auxílio dos profissionais da área para que seja feito um trabalho de divulgação junto aos proprietários de imóveis, facilitando a locação", ressaltou o prefeito.


R$ 400


É o valor do auxílio-aluguel oferecido á 167 famílias vítimas das chuvas.


20 de jan de 2011

Bombeiros treinam surfistas na terceira edição do Salva Surf Mantecorp


A Mantecorp, em parceria com o 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros – Salvamar Paulista realiza, pelo terceiro ano consecutivo, o projeto Salva Surf Mantecorp. A ação tem como objetivo instruir surfistas com técnicas de autoproteção e de auxílio para salvamentos no mar, além de contribuir com a redução do número de afogamentos no litoral paulista durante a temporada de verão. Em 2010, o projeto capacitou mais de 300 surfistas nas oito etapas realizadas. Nesse ano, o evento percorrerá nove praias do litoral paulista.

A edição 2011 do Salva Surf Mantecorp terá início na praia de Itamambuca, em Ubatuba, no dia 29 de janeiro. O projeto também percorrerá as areias de São Sebastião, Bertioga, Guarujá, Santos, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, entre os meses de fevereiro e março.

Segundo o Capitão Maurício Biloti Machado Cunha, do 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros, o projeto ajuda a auxiliar o trabalho dos guarda-vidas, que aumenta consideravelmente com a chegada das férias. “O surfista preparado torna-se um grande aliado dos guarda-vidas, pois, como está familiarizado com o mar e passa boa parte do tempo dentro da água, tem boas chances de prestar socorro ou mesmo auxiliar no salvamento”, destaca o Capitão.

A participação dos surfistas no treinamento também estimula o interesse dos jovens na profissão de guarda-vidas. “Os surfistas podem participar de cursos do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo e trabalhar como guarda-vidas temporários durante o verão”, informa o oficial.

O Teinamento

No treinamento, os instrutores ensinam as principais técnicas de autoproteção, auxílio ao salvamento no mar e reanimação de afogados. De acordo com o Capitão Maurício, uma das técnicas é utilizar a própria prancha como ferramenta segura no socorro de uma vítima de afogamento. “A prancha, quando utilizada de forma correta, é fundamental no resgate e transporte da vítima até um local seguro”, destaca.

Os alunos também aprendem a reconhecer vítimas em risco de afogamento, fazer a abordagem correta, além de procedimentos de primeiros socorros, como respiração artificial e massagem cardíaca externa. “Ao vivenciar essas técnicas, o surfista sente-se mais seguro para prestar socorro no mar durante a espera de ajuda especializada”, conclui o capitão.

Para o Major Smicelato, também integrante do 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros, o equilíbrio emocional associado à técnica é crucial na hora do salvamento de uma vítima de afogamento. “Esse equilíbrio é fundamental, especialmente no mar, onde o ambiente pode ser hostil até mesmo para quem está acostumado a ele, como os surfistas. Quanto mais pessoas estiverem preparadas para agir adequadamente dentro e fora da água, mais vidas serão preservadas”, complementa o Major.

 expectativa da Mantecorp é de que o projeto repita o êxito do ano passado e envolva cada vez mais novos surfistas. “Os surfistas que recebem o treinamento tornam-se um grande apoio no mar para o salva-vidas, que a cada ano ganha mais reforço da comunidade do surfe”, comemora o Capitão Maurício.

Novidade – Prancha sustentável


Este ano, a Mantecorp reforça seu compromisso com a questão socioambiental, por meio da utilização de pranchas sustentáveis durante os treinamentos. As pranchas são ambientalmente corretas porque os materiais utilizados para fabricação são orgânicos e recicláveis e todo o processo de manufatura é livre de compostos tóxicos. Estas mesmas pranchas serão sorteadas para os surfistas após o término do último treinamento.

Inscrições

As inscrições dos interessados serão realizadas por promotores do projeto, que estarão disponíveis nos locais indicados (programação abaixo), uma hora antes do início de cada treinamento. As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas. Somente para maiores de 18 anos.

Ao final de cada treinamento, os inscritos receberão certificado de participação do Corpo de Bombeiros e um kit exclusivo com parafina, lycra e protetor solar Episol.

Todos os inscritos ainda terão a chance de concorrer ao sorteio de duas pranchas. Os sorteios serão realizados após o término do último treinamento, em Peruíbe, e a divulgação dos ganhadores será feita no hotsite do projeto.

19 de jan de 2011

As chuvas atingiram também a região de Santa Catarina.

As fortes chuvas que atingiram Santa Catarina na noite desta terça e madrugada desta quarta-feira afetaram pelo menos 22 mil pessoas em 16 cidades. De acordo com a Defesa Civil Estadual, os maiores danos foram registrados nas cidades de Araranguá, Arroio do Silva, Criciúma, Forquilhinha, Maracajá, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Sombrio e Tubarão, no litoral sul; Anitápolis, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, além da capital catarinense, na região da Grande Florianópolis.


O diretor da Defesa Civil estadual, major Márcio Luiz Alves, afirmou que a situação mais preocupante é Criciúma e Nova Veneza, que registraram 2,5 mil pessoas desalojadas e 200 desabrigadas. Nova Veneza decretou situação de emergência.
“Na região, conforme o Ciram/Epagri, as chuvas atingiram 170 mm nas últimas horas”, informou Alves. O governador do Estado, Raimundo Colombo, determinou o deslocamento de uma equipe de técnicos à região sul para verificar a situação dos municípios atingidos na manhã desta quarta-feira.

Cidades afetadas

As 16 cidades afetadas são Anitápolis, Balneário Arroio do Silva, Cocal do Sul, Criciúma, Florianópolis, Forquinha, Imaruí, Maracajá, Morro da Fumaça, Nova Veneza, Palhoça, Pedras Grandes, Santo Amaro da Imperatriz, Siderópolis, Sombrio e Tubarão. Cinco delas já tiveram seus decretos de situação de emergência oficializados: Forquilhinha, Maracajá, Nova Veneza, Pedras Grandes e Imaruí.

"Bombeiros fazem resgate de canoa durante toda a madrugada"

O Corpo de Bombeiros de Criciúma, Forquilhinha e Morro da Fumaça trabalhou durante toda a madrugada para atender aos atingidas pela chuva em Criciúma. De acordo com o tenente Henrique Piovezam da Silveira, um efetivo de 35 bombeiros trabalhou até as primeiras horas desta manhã no resgate de pessoas.
O número de chamadas de emergência não foi contabilizado, mas, segundo o militar, foram centenas. Ele ressalta que muita gente não ligou pois aproveitava o salvamento do vizinho para pedir auxilio também. “Fizemos um trabalho em conjunto com os municípios vizinhos e conseguimos socorrer toda a comunidade, sem nenhum registro de morte”, diz.

Durante a operação de socorro, foram usados seis botes salva-vidas, dois carros de busca e salvamento e um total de oito viaturas. De acordo com Silveira, muitos idosos e deficientes resistiram em deixar suas residências. “Fizemos o resgate de mais de 500 pessoas e o que mais mexia com a gente era a comoção das pessoas. Ver mulheres com bebês de colo, recém-nascidos, chorando desesperadas. Foi bem chocante, mas graças a Deus não tivemos ninguém ferido”, comenta. Os bairros mais atingidos em Criciúma foram Paraíso, Imperatriz, Vila Francesa, Floresta, Boa Vista e Monte Castelo.